Macau é reconhecido pela Organização Mundial do Comércio (WTO, na sigla inglesa) como uma das economias mais abertas no mundo, em termos de comércio e de investimento, e possui várias vantagens peculiares, nomeadamente o estatuto de porto franco e de zona aduaneira independente, sistema tributário simples com carga fiscal reduzida, taxa do Imposto Complementar de Rendimentos até 12%, rede de contactos extensivos no mercado internacional, estreitas ligações com os Países de Língua Portuguesa e o Acordo de Estreitamento das Relações Económicas e Comerciais entre o Continente Chinês e Macau (CEPA, na sigla inglesa). Desde a implantação da Região Administativa Especial de Macau (RAEM), o ambiente de investimento local tem vindo a testemunhar um melhoramento contínuo, sendo acelerados os projectos de construção nas diversas áreas. Macau está empenhado na consolidação do seu papel como Plataforma Regional de Serviços Comerciais, com destaque para a promoção da cooperação económica e comercial entre a China Continental (particularmente a Região do Grande-Delta do Rio das Pérolas), as empresas dos Países de Língua Portuguesa e a Rede Global dos Empresários Chineses.

Macau caracteriza-se pela política de porto franco e sistema económico de mercado livre, com formalidades simplificadas para investimento e negócio, sendo idênticos os procedimentos de constituição de empresas para os investidores locais e externos, que podem contar com o apoio de “One Stop Service” nos diversos trâmites administrativos. A par disso, Macau tem mantido ligações comerciais com mais de 100 países e regiões do mundo, sendo membro de mais de 50 organizações internacionais, com regras locais de operação comercial adaptadas às práticas internacionais, por forma a oferecer um ambiente ideal para a expansão de negócios dos investidores provenientes de todo o mundo. Conforme um relatório sobre índices do grau de liberdade económica no contexto mundial, divulgado conjuntamente pela “Heritage Foundation” e o “Wall Street Journal” em 2015, Macau foi classificado em 34o lugar entre 178 economias do mundo e 9o lugar na Ásia e no Pacífico.

Nos anos recentes, verificamos um desenvolvimento estável da economia de Macau, com taxa de crescimento anual do Produto Interno Bruto (PIB) na ordem de 14%, por média, entre 2010 e 2013. Em 2013, o Produto Interno Bruto (PIB) aumentou 10,7%, em termos anuais, enquanto que em 2014 tinha registado uma contracção de 0,4% em termos reais, face ao ano 2013. Durante esse período, a taxa de desemprego manteve-se a nível baixo, enquanto os índices económicos como número de visitantes a Macau, volume da venda a retalho e mediana do rendimento da população, entre outros, registaram acréscimos acentuados. Ao passo da maior liberalização para produtos e serviços de Macau, nos termos do CEPA, da implementação do Protocolo do Quadro de Cooperação da Região do Grande-Delta do Rio das Pérolas e das Linhas Gerais do Planeamento para a Reforma e Desenvolvimento da Região do Delta do Rio das Pérolas, bem como da celebração do Protocolo do Quadro de Cooperação entre Guangdong e Macau, será aprofundada a integração económica entre Macau e a China Continental, reforçando-se, de igual modo, a parceria estreita entre Guangdong, Hong Kong e Macau.

O 12º Planeamento Quinquenal do Estado assinalou o apoio a Macau na construção do centro internacional de turismo e lazer, na formação acelerada da Plataforma de Serviços de Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa, na promoção da diversificação adequada da economia local e no desenvolvimento acelerado do turismo de lazer, serviços comerciais em convenções e exposições, medicina tradicional chinesa, serviços de educação e indústria cultural e criativa, estabelecendo, assim, os alicerces firmes para a prosperidade e a estabilidade de Macau a longo prazo e o seu desenvolvimento económico sustentável. Actualmente, Macau beneficia de novas oportunidades de desenvolvimento no contexto da cooperação regional, acolhendo com alegria, na qualidade de Plataforma Regional de Serviços Comerciais, as empresas comerciais e industriais da China Continental e do estrangeiro para exercerem actividades na nossa Região, continuando, ao mesmo tempo, a envidar esforços na prestação de serviços de plataforma empresarial aos investidores, com qualidade e eficiência, por forma a ajudá-los na identificação de oportunidades de negócio e a promover o bem-estar das empresas em geral.

Dados Estatísticos Relevantes de Macau

Localização Geográfica A Região Administrativa Especial de Macau (RAEM), constituída pela península de Macau e as ilhas da Taipa e de Coloane, é uma parte integrante da República Popular da China e localizada no litoral sudeste do país, ou seja, na margem do Estuário do Delta do Rio das Pérolas e cerca de 60 km a sudoeste de Hong Kong.
Área Link (Click to open) km2 (Ano de 2013)
População Link (Click to open) (4º Trimestre de 2014 )
Produto Interno Bruto (PIB) MOP410 mil milhões, taxa de crescimento em termos reais 10,7% (2013)
MOP443 mil milhões, taxa de crescimento em termos reais -0,4%  (2014)
PIB per capita MOP713.514, ou cerca de 89.333 USD(2014)
Comércio de Mercadorias Importações:
MOP 89,9  mil milhões (2014) ↑11%
MOP 8,53 mil milhões (2015 Jan)  ↓1,2%

Exportações:
MOP 9,91mil milhões (2014) ↑9%
MOP 0,96 mil milhões (2015 Jan) ↑2,9%

Comércio de Serviços Importações:
MOP 94,9 mil milhões (2013) ↑3,5%
MOP 84,9 mil milhões (2014) ↓10,6%

Exportações:
MOP 428,3 mil milhões (2013) ↑18,2%
MOP 424,2 mil milhões (2014) ↓0,96%

Entrada de visitantes 31,53 milhões (2014) ↑7,5%
2,46 milhões (Jan 2015) ↓1,5%

Fonte: Direcção dos Serviços de Estatística e Censos do Governo da RAEM